Checklist da escola segura: como a gestão promove saúde mental
Baixe agora!
Blog da Árvore
Gestão Escolar
Conselho de classe: 15 dicas de como organizar na escola

Conselho de classe: 15 dicas de como organizar na escola

23 mar 2022
3 min
Post modificado em:
14/4/2023
Conselho de classe: 15 dicas de como organizar na escola

O conselho de classe tem o intuito de reunir diversos atores, como diretores, gestores escolares, professores e coordenadores pedagógicos, para discutir e alinhar ações para o aprimoramento do processo educativo.

Por meio de um olhar mais detalhado dos acontecimentos do cotidiano escolar, o conselho de classe busca compreender o desenvolvimento de cada aluno, sua relação com os professores e demais colegas.

O que são as reuniões de conselho de classe escolar?

Essas são reuniões bimestrais, trimestrais ou semestrais que verificam se as demandas de aprendizagem estão coerentes com as metodologias aplicadas.

Além disso, de acordo com a Secretaria de Educação de Minas Gerais, essas reuniões também devem identificar as dificuldades de aprendizagem de cada estudante e refletir sobre a necessidade de uma intervenção pedagógica. Isso pode ser alcançado por meio da definição de um roteiro para o conselho de classe escolar.

Quais são as ações e as funções do conselho de classe?

Entre elas estão analisar o desempenho dos alunos, identificar possíveis necessidades de intervenção e propor ações para melhorias do ensino. 

Além disso, ele também precisa analisar projetos pedagógicos e facilitar o processo de avaliação da escola. Sendo assim, suas principais funções são:

  1. Acompanhar o desempenho dos alunos em cada disciplina, avaliando seu aproveitamento, participação, comportamento e demais aspectos considerados relevantes;
  2. Identificar necessidades de intervenção, como a realização de reforço escolar ou ações de apoio emocional e pedagógico;
  3. Propor ações para melhoria do ensino, como a implantação de novas metodologias, o aprimoramento da formação de professores e a atualização de recursos pedagógicos;
  4. Analisar e discutir projetos pedagógicos da escola, a fim de aprimorá-los e adequá-los às necessidades e à realidade dos alunos;
  5. Participar do processo de avaliação da escola, colaborando para a identificação de pontos fortes e fracos da instituição e para a elaboração de planos de ação para promover a melhoria contínua;
  6. Estabelecer parcerias com a comunidade, a fim de viabilizar projetos e ações que contribuam para a melhoria do ensino e para a formação integral dos alunos.

Veja as nossas dicas para organizar a reunião de conselho de classe:

Agora você já sabe que o conselho de classe é um órgão fundamental para o funcionamento das escolas. No entanto, para que ele seja efetivo, é necessário que esteja bem organizado e funcione de maneira estruturada. Confira a seguir 15 dicas para organizar o conselho de classe e torná-lo mais eficiente em sua atuação:

1. Aposte no café e no reconhecimento

Antes de iniciar a reunião, que tal promover um momento de confraternização? Certamente, você já sabe que um cafezinho e um pedaço de bolo podem salvar o dia e deixar qualquer momento ainda mais proveitoso.

Além do coffee break, agradeça aos presentes, ratificando a importância de cada participação para promover uma ação pedagógica e aprimorar as práticas educativas. Isso dá um tom muito mais acolhedor ao encontro.

Leia também: Dinâmica para reunião de pais: confira 9 exemplos

2. Promova a reflexão para a ação

Antes da data da reunião, naquele momento pré-conselho de classe, é essencial que haja também uma avaliação prévia, na qual os professores refletem e analisam o período referido.

Nesse instante, também é possível identificar os estudantes que têm uma frequência precária e aqueles que possuem dificuldades de aprendizagem. Sendo assim, esse é o momento de reunir observações cotidianas e construir um relatório a partir desses olhares.

Por isso é importante promover a avaliação formativa desde o primeiro dia de aula, a fim de ter um acompanhamento mais minucioso do estudante e da turma como um todo.

3. Torne o conselho de classe democrático

Em uma fase anterior ao conselho de classe, uma dica para tornar esse processo avaliativo mais participativo é reunir alguns estudantes para também construir um diagnóstico da atuação dos professores e demais atores da escola.

Essa é uma maneira de promover a gestão democrática na instituição de ensino, e os discentes que venham a compor o diagnóstico devem ser de turmas diferentes.

Outra dica é propor um roteiro, fornecido pela gestão escolar, de todos os aspectos que envolvem o trabalho dos professores e demais colaboradores a serem avaliados. Esse material, então, pode facilitar a compreensão do desempenho nas disciplinas e da relação com toda a escola.

Leia mais: Qual é a função da gestão escolar?

4. Ouça as famílias durante o conselho de classe

A participação das famílias é muito valiosa, assim como a dos estudantes, e pode ser promovida a partir de uma reunião presencial ou online.

Também é possível criar um documento que permita aos pais e responsáveis contribuir com sua perspectiva sobre a escola. Ele, então, poderá ser utilizado para comunicar possíveis desafios e dificuldades que seus filhos e tutorados estejam enfrentando. Tudo isso pode facilitar a construção e a avaliação escolar dos estudantes.

5. Capriche no planejamento

Para oferecer uma reunião mais fluida e organizada, é preciso que o gestor escolar estabeleça o momento de fala de cada membro e outro de discussão sobre a temática, com duração pré-determinada. Estipule também, previamente, uma ordem lógica para apresentações, análises e discussões.

Não se esqueça de considerar momentos de pausa a depender do tamanho da turma. Esses passos vão ajudar a evitar o prolongamento da reunião para além do necessário.

6. Compartilhe tarefas

Dividir responsabilidades por turma e professor pode ajudar a cobrir o máximo de situações possíveis que desafiam a escola e podem atrapalhar o desempenho dos estudantes. Nesse sentido, a divisão de tarefas vai alavancar a consolidação das estratégias e facilitar a execução das proposições e assistência aos estudantes.

Mas não se esqueça: é super importante que os responsáveis pelas ações recebam o apoio da gestão escolar e toda a ajuda necessária dos demais colegas.

7. Preze pela representatividade

No conselho de classe, é fundamental que estejam presentes os mais variados atores que fazem parte do universo da escola.  Afinal, a participação de um representante do corpo discente, assim como a comunicação com entre família e escola, pode ajudar a construir uma avaliação mais humana e coerente com a realidade dos estudantes.

8. Escute atentamente

No momento da reunião, o gestor escolar precisa dar voz a todos os atores envolvidos. Como uma prática coletiva de reflexão e tomada de decisão, o conselho de classe deve permitir que as várias perspectivas do cenário da escola sejam ouvidas.

Assim, experiências e acontecimentos que não são do conhecimento de todos podem ser trazidos, colaborando para a construção de estratégias e para a resolução de impasses. 

Leia também: Frases de motivação para professores no conselho de classe

9. Pense além das notas

É preciso levar em consideração não apenas os resultados objetivos dos estudantes, uma vez que a BNCC destaca a importância das competências socioemocionais. Essas, então, devem ser trabalhadas transversalmente em todos os componentes curriculares, a fim de preparar esse estudante para uma vida em sociedade repleta de desafios.

Portanto, observar e monitorar o comportamento e as dificuldades socioemocionais de cada estudante é imprescindível para que se tornem cidadãos promissores.

10. Fique de olho no currículo oculto

O currículo oculto é um termo usado na área da educação para descrever o conjunto de experiências educativas vividas pelos estudantes que não está explicitado no currículo oficial, mas que contribuem para a aprendizagem de normas sociais e comportamentos coletivos.

Sendo assim, ao avaliar os estudantes, é preciso considerar:

  • estrutura da escola;
  • contexto social e regional em que ela está inserida;
  • trajetória do estudante;
  • histórico de relacionamento;
  • ações dos professores dentro da sala de aula;
  • projeto político pedagógico;
  • currículo escolar;
  • planejamento da instituição de ensino.

Essas são dimensões que fazem parte do currículo oculto da escola, isto é, ações e práticas que não estão necessariamente escritas, mas que impactam diretamente no aprendizado do estudante.

11. Faça registros durante o conselho de classe

Educador e gestor escolar, atenção às proposições, às informações relevantes e aos acordos levantados: anote cada ponto na ata do conselho de classe.

É essencial que haja um documento de consulta acessível a todos, a fim de fortalecer o compromisso de professores e coordenadores para com o que foi levantado durante a reunião. A ata pode originar um relatório de conselho de classe e servir como registro para uma avaliação mais eficaz nos próximos encontros.

12. Monitore as ações planejadas durante o conselho

Após o término da reunião, pergunte qual educador gostaria de ser responsável pelo acompanhamento das ações propostas. Ele, então, precisará servir de ponto focal para discutir a execução do planejamento e elaborar uma comunicação assertiva a fim de:

  • relembrar os prazos combinados;
  • monitorar as ações pensadas. 

13. Procure e dialogue

Após a reunião, deve-se procurar os estudantes com número de faltas preocupante para estabelecer uma conversa na presença de seus responsáveis. Afinal, o diálogo com a família pode resolver esse ponto mais facilmente, fortalecendo o relacionamento entre os envolvidos. Essa é uma estratégia que a escola não pode perder de vista!

Além disso, uma conversa acolhedora com esse estudante, buscando compreender suas dificuldades e possíveis causas, pode contribuir para a sua permanência no ambiente escolar. No entanto, caso a família se mantenha ausente frente a situação, a escola não pode deixar de acionar as instâncias estatais responsáveis.

Leia também: Como evitar a evasão escolar: 3 estratégias para aplicar na sua escola

14. Invista nos relacionamentos

Ah, não se esqueça do representante de turma! O alinhamento desse estudante com os demais educadores pode facilitar o relacionamento de todo o corpo discente com a escola.

Por isso, apoie e acompanhe esse estudante na forma como ele compartilhará as informações e proposições acordadas no conselho. Um convívio harmonioso e participativo passa por uma comunicação horizontal e acolhedora.

15. Humanize o diário

É muito comum, nas chamadas de lista de presença, que os estudantes sejam nomeados pelos números que correspondem à sua posição no diário, e isso acaba se repetindo nos conselhos de classe.

No entanto, essa prática tende a desumanizar o estudante, apagando suas particularidades e, assim, criando um afastamento do professor em relação a ele. Por isso, evite essa prática. Chamá-los por seu nome, além de fortalecer os vínculos, tende a ajudar na identificação e criação de afeto.

E então, gestor escolar, o que achou das nossas dicas? Esperamos que cada uma delas apoie a sua instituição na construção de um conselho de classe mais efetivo e participativo. Afinal, nosso intuito é contribuir para um aprendizado mais eficiente e acolhedor.

Pensando nisso, sugerimos também que baixe gratuitamente o nosso Guia do Engajamento Escolar. Esse conteúdo irá mostrar como engajar seus alunos na rotina e nos projetos de ensino.

No items found.

Baixe o Guia Definitivo da Gestão Escolar!

Tenha acesso a dicas, materiais e conteúdos práticos para tornar o dia a dia da gestão escolar mais simplificado. É gratuito!

Preencha o formulário ao lado e receba o material no seu e-mail.

Formulário enviado com sucesso!
Erro! Por favor, tente novamente.

Você pode gostar também

Gestão Escolar

8 dicas para preparar sua equipe pedagógica

Neste post, reunimos dicas dos nossos especialistas sobre como preparar a equipe pedagógica do seu colégio. Confira!

Continuar
Gestão Escolar

7 ideias para criar uma sala de aula interativa

Uma sala de aula interativa permite desenvolver a consciência crítica dos alunos e requer comprometimento do gestor escolar e da equipe pedagógica. Saiba mais.

Continuar