Checklist da escola segura: como a gestão promove saúde mental
Baixe agora!
Blog da Árvore
Gestão Escolar
Plano de ação escolar: o que é e passo a passo

Plano de ação escolar: o que é e passo a passo

21 ago 2023
5 min
Post modificado em:
21/8/2023

Gestor, no texto de hoje vamos falar sobre o plano de ação escolar. A seguir, saiba mais sobre o objetivo desse importante documento e como ele é elaborado.

O que é um plano de ação?

Ter um plano de ação documentado é fundamental para qualquer processo de planejamento. É esse documento que irá estruturar e organizar as ações necessárias para alcançar objetivos previamente delineados.

Ele é um instrumento de trabalho que descreve cada etapa necessária para atingir uma determinada meta ou resolver um problema.

É como um mapa: mostra o que fazer, quem é responsável, quando fazer e o que é preciso.

A importância do plano de ação na escola:

Um plano de ação escolar é aquele que direciona o trabalho pedagógico da escola ao longo do ano letivo. Por isso, é de suma importância que o plano esteja alinhado às propostas do projeto político pedagógico da instituição.

O plano de ação garante que os envolvidos no processo de ensino e aprendizagem atuem em sintonia!

Quando elaborado de forma eficaz, ele proporciona uma direção estratégica e evita ações improvisadas, visando maximizar o impacto das iniciativas pedagógicas.

Este documento garante a obtenção correta de recursos. Ele também promove a transparência na gestão escolar. Além disso, ajuda a melhorar a qualidade do ensino.

Ademais, o envolvimento de professores, responsáveis e demais membros da comunidade escolar em um plano de ação gera um senso de pertencimento. Além de colaboração na cultura escolar.

Como se estrutura um plano de ação?

Gestor, vamos nos aprofundar na estrutura de um plano de ação da escola? Veja a seguir quais são as principais características desse tipo de documento:

1- Diagnóstico

Em uma primeira etapa, é preciso investigar quais pontos requerem a intervenção de um plano de ação, visando a sua solução, modificação ou reforço. Por isso, antes de elaborar um novo planejamento, é indicado analisar os que já foram implementados.

Um plano de ação para um ano letivo geralmente elenca uma série de pontos de intervenção. Para este artigo, utilizaremos um único ponto para servir de exemplo ao longo de nosso texto:

Vamos considerar que a equipe constatou que há um baixo envolvimento dos responsáveis e famílias no cotidiano escolar.

Diante dessa realidade, é essencial pensar em estratégias para incentivar o engajamento e a participação das famílias no processo de ensino e aprendizagem.

Quais seriam os próximos passos, então?

2- Metas e Objetivos

Nesta etapa, é crucial definir de maneira detalhada os resultados desejados. Estabelecer metas mensuráveis ajuda a avaliar a eficácia de um planejamento escolar.

Vamos considerar um plano de ação que visa aproximar os responsáveis da escola. Um indicador de sucesso pode ser aumento na taxa de participação das famílias em reuniões, palestras ou eventos.

Gestores devem calcular a taxa (ou taxas!) de aumento ideal considerando a realidade da escola e da comunidade escolar.

3- Ações e Estratégias

Além de definir as metas e os objetivos, a equipe deve pensar de que maneiras eles serão alcançados.

Lembrando que é essencial planejar ações que estejam alinhadas com o plano político pedagógico da instituição. Além de alinhado com as demandas e preferências da comunidade escolar.

Por isso, não deixe de dialogar com toda a comunidade durante a elaboração de um plano de ação!

Considerando o nosso exemplo de integração entre família e escola, as ações do plano podem incluir:

  • a realização de encontros temáticos entre responsáveis e educadores, abordando questões relevantes para a comunidade escolar;
  • o desenvolvimento de um boletim informativo onde os responsáveis possam acompanhar as atividades do dia a dia;
  • a organização de eventos culturais como feiras de ciências, exposições de arte ou encontros literários.

O ideal é que as ações sejam diversificadas e abordem diferentes aspectos da relação entre a escola e as famílias. Assim, criando um ambiente propício para o engajamento.

4- Cronograma e Prazos

A definição de um cronograma é vital para garantir a implementação eficaz do plano de ação.

Por isso, gestor, procure estabelecer datas para cada ação, levando em consideração a natureza das atividades e os recursos disponíveis.

Por exemplo: ao organizar um evento cultural para as famílias, considere o prazo limite para a concepção do evento. Com isso, defina a data para o envio dos convites, os dias de montagem e demais tarefas envolvidas.

Ah, importante: às vezes, precisamos flexibilizar o planejamento. Um cronograma engessado também pode atrapalhar. Mantenha um diálogo aberto e transparente com a sua equipe; novos rumos e soluções podem surgir da colaboração!

5- Definição de responsáveis

Além de definir os prazos, é imperativo delegar responsabilidades específicas a cada membro da equipe.

No exemplo, uma coordenadora pedagógica pode ficar responsável por organizar as palestras para as famílias. Ela deve considerar as temáticas e debates mais relevantes para aquela realidade.

Já a secretaria escolar pode elaborar e disparar o boletim informativo para as famílias, e assim por diante.

É fundamental determinar de forma precisa quem é responsável por cada tarefa.

6- Recursos Necessários

Qual é a disponibilidade de professores e equipes de apoio para conduzir as ações elencadas pelo planejamento escolar? E como alocar os recursos financeiros para a organização dos eventos e demais encontros?

É importante que gestores identifiquem quais são os recursos mais significativos, avaliem o orçamento adequado e promovam a utilização criativa de recursos internos.

Ponderar sobre os recursos necessários tende a diminuir os riscos financeiros durante a implementação de um plano de ação.

7- Monitoramento e Avaliação

Por fim, deve-se definir os indicadores para avaliar o progresso e o sucesso do plano de ação.

Por exemplo, a cada bimestre, a equipe pode avaliar o aumento real na participação dos responsáveis em reuniões em relação ao período anterior. O número alcançado é o ideal para chegar na meta estabelecida?

Também vale coletar feedbacks dos responsáveis sobre a eficácia das estratégias implementadas.

Essa etapa consiste em avaliar o progresso das ações e reconhecer quais ajustes devem ser feitos. Que estratégias podem melhorar os números? O que está surtindo efeito e pode ser escalonado?


Gestor, você exerce um papel importante na implementação de um planejamento escolar. A sua liderança do plano não apenas direciona as ações, mas também cria um ambiente de colaboração e foco.

Esperamos que esse texto tenha apoiado o processo de elaboração do seu plano de ação educacional. Leia também o nosso artigo O que é o Projeto Político Pedagógico (PPP)? Até a próxima!

Baixe o Guia Definitivo da Gestão Escolar!

Tenha acesso a dicas, materiais e conteúdos práticos para tornar o dia a dia da gestão escolar mais simplificado. É gratuito!

Preencha o formulário ao lado e receba o material no seu e-mail.

Formulário enviado com sucesso!
Erro! Por favor, tente novamente.

Você pode gostar também

Gestão Escolar

Dicas para começar o seu ano letivo com o pé direito

Começar o ano letivo da maneira certa é essencial para alunos, professores e para a gestão escolar. Confira cinco dicas para tornar essa tarefa mais fácil.

Continuar
Gestão Escolar

Como trabalhar a saúde mental na escola: 7 dicas práticas

Você sabe por que e como trabalhar a saúde mental na escola? Conheça o importante papel das instituições de ensino e confira 7 dicas práticas.

Continuar