Checklist da escola segura: como a gestão promove saúde mental
Baixe agora!
Blog da Árvore
Gestão Escolar
8 dicas para montar um quadro de horários escolar perfeito

8 dicas para montar um quadro de horários escolar perfeito

19 out 2023
4 min
Post modificado em:
19/10/2023

Não é segredo para ninguém o quão atribulada é a rotina de gestores escolares. Afinal de contas, uma gestão escolar eficiente requer um olhar cuidadoso sobre demandas de estudantes, equipe pedagógica, funcionários, instalações da instituição e famílias. 

Além disso, conforme o fim do ano letivo se aproxima (e com ele as tão merecidas férias), outra missão começa a assombrar as escolas: a montagem de novos quadros de horários. Sabemos que é difícil agradar a gregos e troianos em tal tarefa, mas no post de hoje traremos 8 dicas para facilitar o  desenho de um bom cronograma. 

1 - Conheça as necessidades da escola e a legislação do país -

Em primeiro lugar, antes de montar o quadro de horários em si é fundamental entender as necessidades da escola. Para isso, há que se fazer um levantamento e registro sobre:

  • o número de turmas em voga e previsão de turmas a serem abertas ou fechadas no ano seguinte, geralmente dispostos nas metas da campanha de matrícula;
  • a totalidade das disciplinas e atividades extracurriculares ofertadas;
  • a carga horária de professores e alunos;
  • os recursos materiais disponíveis (como número e metragem de salas e espaços coletivos);
  • as preferências de horários para intervalos, início e fim das aulas entre docentes, discentes e famílias.

Para isso, pesquisas de opinião e consultas a atas de reuniões prévias podem ajudar a entender as dinâmicas de responsáveis e cuidadores para levarem e buscarem os alunos. Além disso, essas ferramentas são boas sinalizadoras, para as famílias, do compromisso concreto da instituição com o bem-estar de todos.

É preciso entender, ainda, em quais períodos do dia determinadas faixas etárias estão mais dispostas e concentradas para determinadas atividades pedagógicas. Reflita, por exemplo, se uma aula de educação física às 6 da manhã é adequada para grupos de educação infantil. O mesmo com os demais componentes curriculares.

Ademais, bons gestores sempre primam pelo cumprimento das regulamentações e diretrizes legais do sistema de ensino local e do Ministério da Educação. Além do conteúdo curricular, requisitos como carga horária mínima, feriados escolares e datas de avaliações devem ser levados em consideração.

No Brasil, os documentos normativos da Educação Básica a serem consultados sempre que necessário são as Leis de Diretrizes e Bases (LDBs) e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Não deixe de conferir, também, os calendários federais.

2 - Envolva a equipe

Outra etapa primordial para procurar atender ao máximo às necessidades de professores e demais membros da equipe escolar é consultar esses profissionais com antecedência. Desse modo, a equipe se sentirá acolhida e poderá se planejar de antemão.  

Você pode usar questionários online e/ou softwares para obter feedback sobre suas preferências e restrições em relação ao horário. Depois, uma vez gerados esses dados, pode-se cruzá-los para dar início ao quebra-cabeça do quadro de horários. 

Lembre-se que uma gestão democrática e respeitosa tem impactos diretos na saúde mental e desempenho da equipe pedagógica em sala de aula.

3 - Valorize o bem-estar dos alunos e professores

Para garantir o bem estar físico e emocional de crianças, adolescentes e professores, também é necessário propor uma distribuição agradável e harmoniosa dos recursos da escola. 

Verifique a distância entre as salas de aula, laboratórios, sala de professores e demais espaços. E não se esqueça de considerar, na distribuição de horários, o tempo de deslocamento entre um espaço e outro. 

Caso os docentes tenham que bater um ponto eletrônico, é crucial disponibilizá-lo em um local estratégico e de fácil acesso, que não comprometa a minutagem de aulas das turmas. O mesmo pode ser aplicado a atividades que necessitem um período de preparação, como é o caso de práticas esportivas que requerem uniformes específicos.

Além disso, evite criar lacunas de tempo entre as aulas ou a priorização de determinadas áreas do conhecimento em detrimento de outras. Lembre-se sempre da importância de uma educação integral para o desenvolvimento saudável que nossos estudantes merecem.

Outro aspecto a ser levado em consideração na logística de distribuição de horários é o tempo adequado para refeições, pausas e cuidados com a saúde e a higiene (como idas ao banheiro e escovação de dentes). Isso pode evitar o desenvolvimento de doenças ocupacionais recorrentes entre professores, como infecções urinárias, traumas no trato vocal e burnout.

4 - Automatize o processo, se possível

Caso a sua escola disponha de recursos como computadores e internet, você pode automatizar o processo de criação do quadro de horários utilizando softwares de gestão escolar ou ferramentas de programação de horários. Essas ferramentas podem considerar diversos parâmetros, como a disponibilidade de professores, capacidade das salas de aula e preferências, tornando a tarefa mais eficiente e reduzindo erros. 

Alguns estudos já demonstram a eficiência desse tipo de ferramenta tecnológica na superação de dificuldades comuns à criação dos quadros de horário, tais como:

  • horários vagos ou desiguais para turmas de um mesmo nível;
  • janelas enormes (muitas vezes não remuneradas) nos horários dos professores;
  • horários inviáveis para certas atividades;
  • colisão de professores em turmas distintas;
  • conflitos de horários;
  • blocos muito longos de uma mesma disciplina, o que pode dificultar o nível de atenção e concentração.

Contudo, lembre-se de que a supervisão e revisão humana ainda é necessária. O olhar crítico da gestão sobre os resultados gerados e eventuais adaptações são fatores que garantem um resultado que realmente atenda às necessidades da escola. 

5 - Diversifique os componentes curriculares

A depender do projeto político pedagógico da escola, pode ser interessante evitar a concentração de disciplinas de um mesmo campo de estudo em um único dia ou período. 

Procure diversificar as matérias ao longo da semana e do dia, distribuindo disciplinas mais desafiadoras e aquelas que requerem mais concentração de maneira equilibrada. Isso ajuda a evitar a fadiga dos alunos e a melhorar o engajamento nas aulas.

Além disso, leve em consideração a previsão de projetos interdisciplinares a serem desenvolvidos ao longo do ano. 

Se você está ciente de uma iniciativa de colaboração entre professores de ciências e língua portuguesa, por exemplo, por que não manter esses componentes em tempos seguidos na grade? Isso pode facilitar a organização das salas e dinâmicas em grupo em rotinas lógicas e práticas.

6 - Considere atividades extracurriculares

Não se esqueça de acomodar de forma espaçada e abrangente atividades extracurriculares como clubes ou aulas extras de dança ou música. Isso permite a participação dos alunos sem sobrecarregá-los. 

Se necessário, você pode dispor de um contraturno para essas demandas. O equilíbrio entre aulas regulares e extras é essencial.

7 - Reserve horários para planejamento e reuniões

Ainda que os alunos e responsáveis não tenham acesso aos horários de conselhos de classe e janelas para planejamento pedagógica, é fundamental acomodá-los de forma equilibrada com a grade curricular nos regimentos internos da escola. 

Procure se inteirar sobre o tempo médio de preparação de aulas de cada segmento, ainda que levando em consideração somente tarefas mandatórias mais burocráticas, como lançamento de presença no sistema, preenchimento de diários escolares e afins. Isso pode evitar o estresse, sobrecarga e adoecimento da sua equipe.

8 - Seja flexível

Gestor, tenha em mente que um bom quadro de horários demanda um certo tempo para ser desenvolvido e precisa ser aprimorado à medida em que as circunstâncias mudarem ou problemas forem surgindo. Esteja preparado e aberto para eventuais ajustes. A flexibilidade é essencial para aprimorar o quadro de horários ao longo do tempo.

Um quadro de horários perfeito não é algo estático; ele deve ser revisado periodicamente para garantir sua eficiência contínua. Realize avaliações regulares com a equipe escolar para identificar possíveis problemas, conflitos de horários ou necessidades de mudança. 

Ao seguir essas dicas e manter a comunicação aberta com a equipe escolar, você estará no caminho certo para criar um cronograma eficiente. Se quiser turbinar ainda mais a oferta de tempos de aula na sua grade, não deixe de conferir nosso Guia de rematrícula escolar: passo a passo completo. Até a próxima!

Baixe o Guia Definitivo da Gestão Escolar!

Tenha acesso a dicas, materiais e conteúdos práticos para tornar o dia a dia da gestão escolar mais simplificado. É gratuito!

Preencha o formulário ao lado e receba o material no seu e-mail.

Formulário enviado com sucesso!
Erro! Por favor, tente novamente.

Você pode gostar também

Gestão Escolar

Quais são os desafios da gestão do cotidiano escolar?

Neste post, você descobre todos os desafios e responsabilidades da gestão do cotidiano escolar, além de dicas para o trabalho.

Continuar
Gestão Escolar

Gere oportunidades no atendimento da família na escola!

Quer saber como gerar oportunidades no atendimento da família na escola? Confira nosso post com dicas para a gestão escolar!

Continuar