Checklist da escola segura: como a gestão promove saúde mental
Baixe agora!
Blog da Árvore
Gestão Escolar
Gestão da Educação Pública: indicadores para Secretarias

Gestão da Educação Pública: indicadores para Secretarias

3 min
Post modificado em:
23/9/2022

82,9% dos brasileiros estão matriculados em instituições públicas. Desde a creche até o ensino médio, mais de 35 milhões de jovens e crianças estão em instituições municipais, estaduais ou federais, é o que aponta o Censo Escolar de 2021.

O número é alto, mas não é uma surpresa. Isso porque desde 2005, a taxa de brasileiros matriculados em instituições públicas se mantém acima de 80%. Isso quer dizer que o futuro da educação do país está nas mãos da educação pública.

Neste post reunimos, então, três indicadores de desempenho que estão no dia a dia da Secretaria de Educação trazendo contextualização e dicas práticas para auxiliar a gestão escolar pública no cenário local e nacional.

Primeiro indicador: o Ideb

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é fundamental e o principal marcador para sabermos como está o ensino em todo o território nacional e, dessa forma, traçar diagnóstico, metas e levantar pontos de melhoria por todo o país.

O levantamento do Ideb é feito de dois em dois anos e é calculado a partir de dados do Censo Escolar, a respeito do rendimento dos estudantes, e das médias de desempenho em exames aplicados pelo Inep a partir do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

Resultados do Ideb
E-book Recuperação da aprendizagem
E-book gratuito

Material exclusivo sobre Recuperação de Aprendizagem!

Conteúdo feito por especialistas pedagógicos da Árvore para saber mais sobre o tema e como a gestão escolar pode atuar.

Baixe agora!

Segundo indicador: o analfabetismo

“No Brasil, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) 2019, a taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de idade foi estimada em 6,6% (11 milhões de analfabetos).” (Fonte: IBGE Educa)

De acordo com o IBGE, o nordeste, por exemplo, concentra 13,9% da população analfabeta acima de 15 anos de idade. O norte é a segunda região do Brasil com maior população analfabeta, estando com 7,6% da sua população nessa situação.

Um cenário ainda mais preocupante, em relação à população geral, aponta o levantamento, é que a taxa de analfabetismo para as pessoas pretas ou pardas (8,9%) é mais que o dobro da observada entre as pessoas brancas (3,6%).

Saber a taxa de analfabetismo da região em que a Secretaria de Educação atua e é responsável é extremamente necessário para elaborar planos de ação, estruturar o uso do recurso público, conscientizar e treinar equipes para atuação e reversão desse cenário.

Terceiro indicador: evasão escolar

O segundo trimestre de 2021 foi marcado por um aumento de 171% de evasão escolar entre crianças e jovens de 6 a 14 anos, se comparado com o mesmo período de 2019, é o que afirma o levantamento da Pnad Contínua do segundo trimestre de 2021. Isso significa que 244 mil crianças e jovens nessa faixa etária estavam fora das escolas nesse período.

Muito desse aumento pode ter responsabilidade atribuída à pandemia da Covid-19. De acordo com o Censo Escolar da Educação Brasileira 2021, divulgado pelo Inep, metade dos estudantes da rede pública de ensino abandonou a escola em 2020. Por isso, é necessário políticas educacionais que garantam uma educação de qualidade em todo serviço público.

Leia também: Como evitar a evasão escolar?

Evasão e defasagem escolar

Uma das causas que pode levar à evasão escolar é a defasagem, ou seja, quando os conhecimentos de um estudante não correspondem ao seu ano escolar.

A defasagem escolar pode também ser entendida como a distorção idade-série. De acordo com esse índice, um aluno apresenta desafagem escolar se está a duas séries atrasadas em relação a sua idade. Tudo isso impacta diretamente nos índices de evasão escolar.

Confira também nossa entrevista exclusiva com a especilista em defasagem escolar Claudia Costin!

Tecnologias de informação e comunicação na rede pública

Estar conectado ainda é um desafio para a rede pública de educação. Segundo o Censo Escolar 2020, 25% das escolas públicas do Brasil não têm acesso à internet.

Ainda, dentre as escolas que possuem conexão, 70% dos professores relatam sentir falta de utilizar o recurso em suas atividades devido a baixa qualidade e velocidade da mesma, é o que aponta a Pesquisa realizada pela Comitê Gestor da Internet do Brasil.

Sabendo dessa realidade, como as Secretarias de Educação podem mudar o cenário e facilitar o acesso à tecnologias de informação e comunicação nas escolas públicas?


Gestor, esperamos que nosso texto tenha esclarecido sobre os principais indicadores para a Gestão da Educação Pública. Aproveite e baixe gratuitamente nosso Guia do Engajamento Escolar!

No items found.

Baixe o Guia Definitivo da Gestão Escolar!

Tenha acesso a dicas, materiais e conteúdos práticos para tornar o dia a dia da gestão escolar mais simplificado. É gratuito!

Preencha o formulário ao lado e receba o material no seu e-mail.

Formulário enviado com sucesso!
Erro! Por favor, tente novamente.
E-book Recuperação da aprendizagem

E-book gratuito

Material exclusivo sobre Recuperação de Aprendizagem!

Conteúdo feito por especialistas pedagógicos da Árvore para saber mais sobre o tema e como a gestão escolar pode atuar.

Você pode gostar também

Gestão Escolar

Clima escolar: o que é e qual o papel da gestão

Você sabe o que significa clima escolar? E qual o papel da gestão para manter um bom clima na escola? Confira no post!

Continuar
Gestão Escolar

Reprovação escolar: causas + 6 soluções eficientes

Neste post, explicamos as principais causas da reprovação escolar, além de indicar alguns caminhos para diminuir esse índice.

Continuar