Checklist da escola segura: como a gestão promove saúde mental
Baixe agora!
Blog da Árvore
Educação
Escola em Tempo Integral: como funciona na prática

Escola em Tempo Integral: como funciona na prática

7 ago 2023
3 min
Post modificado em:
7/8/2023

Você conhece as principais características da escola em tempo integral? Saiba mais sobre essa modalidade e como implementá-la em sua escola!

A flexibilização do currículo escolar, a interdisciplinaridade e a ampliação do tempo de permanência de aprendizes nas escolas têm sido objetos de grande debate no Brasil.

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), por exemplo, incentiva o constante diálogo entre componentes curriculares e destaca a Lei nº 13.415, de 2017. A lei promulga políticas de implementação da Educação em tempo integral voltada para os três anos do Ensino Médio.

Em consonância, no dia 2 de julho de 2023 foi aprovado um projeto de lei que dá origem ao programa Escola em Tempo Integral. O objetivo, de acordo com o texto a ser aferido no Senado Federal, é ampliar a oferta de instituições com esse paradigma pedagógico.

Mas, afinal, quais são alguns dos princípios que regem a Educação em tempo integral?

Nesta leitura, vamos entender:

  • em que consistem as escolas em tempo integral;
  • seus principais objetivos;
  • a diferença entre Educação Integral e Educação em Tempo Integral;
  • a carga horária que caracteriza o ensino em tempo integral;
  • e meios de implementar o ensino em tempo integral na prática em sua escola.

O que é uma escola em tempo integral?

A pesquisadora Ana Maria Cavaliere ressalta que a escola em tempo integral não deve somente ampliar o tempo de permanência de estudantes no ambiente escolar. Mas também integrar atividades que visem à formação cidadã e à socialização por meio de práticas reflexivas sobre tarefas do cotidiano.

Cavaliere cita, também, alguns eixos temáticos que podem ser abordados com as turmas:

“As atividades ligadas às necessidades ordinárias da vida (alimentação, higiene, saúde), à cultura, à arte, ao lazer, à organização coletiva, à tomada de decisões, são potencializadas e adquirem uma dimensão educativa” (Cavaliere, 2007, p. 1022).

Para garantir a qualidade desse tipo de ensino, a atuação dos gestores escolares é essencial para adaptar o currículo.

Contratar bons professores, conversar com a comunidade escolar e planejar bem a infraestrutura são ações importantes para a gestão escolar.

Qual é o principal objetivo da escola de tempo integral?

O educador Moacir Gadotti, autor do livro Educação Integral no Brasil - Inovações em processo (2009), destaca como propósito da escola em tempo integral a formação plena e cidadã dos estudantes, por intermédio de atividades dos mais variados campos do conhecimento.

Ainda segundo o autor, instituições que aderem a essas práticas podem incentivar a criação de laços afetivos. Além disso, podem estimular o desenvolvimento de aspectos cognitivos de crianças e adolescentes, ampliar o repertório sócio-cultural das turmas e incentivar “hábitos alimentares e de higiene” (Gadotti, 2009, p. 28).

Conhecimentos literários, matemáticos, musicais, ecológicos, esportivos e artísticos são, assim, construídos em diálogo para além do cronograma da sala de aula tradicional.

Leia mais: Educação Integral e formação para vida na prática

Qual a diferença entre uma Educação Integral e uma Educação em Tempo Integral?

Você pode estar se perguntando se Educação Integral e Educação em Tempo Integral são a mesma coisa, já que as expressões são parecidas.

Contudo, a Educação em Tempo Integral tem como particularidade a carga horária estendida, geralmente contemplada em dois turnos por dia letivo. Algumas escolas têm aulas obrigatórias de manhã e oferecem projetos diversos no contraturno da tarde.

A Educação Integral inclui não só o aprendizado intelectual, mas também o desenvolvimento emocional e a diversidade de conhecimentos, culturas e identidades. Trata-se, portanto, de uma visão de ensino e aprendizagem que reconhece a escola em seu potencial democrático e acolhedor.

Qual a carga horária do ensino integral?

Atualmente está em vigência o Decreto nº 10.656, que define, no 11º artigo, a “educação básica em tempo integral” da seguinte forma:

“(...) a jornada escolar de um estudante que permanece na escola ou em atividades escolares por tempo igual ou superior a sete horas diárias ou a trinta e cinco horas semanais, inclusive em dois turnos, desde que não haja sobreposição entre os turnos, durante todo o período letivo.”

A título de curiosidade, essa definição não é nova, pois advém do Decreto n° 6.253/2007. Ele foi seminal para estabelecer o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Para ter ensino integral no Ensino Fundamental, os estudantes precisam ter 7 horas de aulas por dia, em vez das 4 horas mínimas. No Novo Ensino Médio, a carga horária mínima diária é de 5 horas, com mais 2 horas de atividades escolares por dia letivo.

Como implementar o ensino integral na escola?

Como você já deve ter percebido, a mera extensão da carga horária não garante um ensino em tempo integral de qualidade.

Para criar um bom Projeto Político Pedagógico de tempo integral, é importante comunicar-se bem com as famílias dos alunos. Além disso, é necessário contar com educadores qualificados de diferentes disciplinas. Juntos, eles devem criar iniciativas a curto, médio e longo prazo.

Pergunte-se, por exemplo:

  • O quão efetivas são as reuniões docentes?
  • Os objetivos pedagógicos dos projetos estão bem alinhados?
  • Como os responsáveis ficarão a par da rotina dos estudantes? Como incluir as famílias no processo de ensino e aprendizagem?

Outra etapa crucial é a avaliação das condições estruturais do espaço escolar. Um bom ponto de partida nessa fase é se questionar quais equipamentos, instalações e materiais serão necessários para contemplar os projetos didáticos.

A pesquisadora Zaia Brandão, autora do estudo Escola de tempo integral e cidadania escolar (2009), também indica que é fundamental avaliar as necessidades, dificuldades e especificidades de cada aluno para serem contempladas nas ações da equipe pedagógica.

Brandão (2009) aponta, ainda, estudos dirigidos, práticas orientadas de investigação bibliográfica e o engajamento literário como grandes aliados de uma Educação em tempo integral efetiva.


Agora que você sabe sobre a Educação em Tempo Integral, avalie se é viável para sua escola.

Gostou deste post e quer aprimorar ainda mais a sua formação? Então fica ligado(a) no blog da Árvore e nos nossos conteúdos para gestores.

Baixe o Guia Definitivo da Gestão Escolar!

Tenha acesso a dicas, materiais e conteúdos práticos para tornar o dia a dia da gestão escolar mais simplificado. É gratuito!

Preencha o formulário ao lado e receba o material no seu e-mail.

Formulário enviado com sucesso!
Erro! Por favor, tente novamente.

Você pode gostar também

Educação

Pisa 2022: desempenho educacional do Brasil na avaliação

Confira os resultados do Brasil e do mundo Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, o PISA 2022.

Continuar
Educação

Como trabalhar interpretação de texto em sala de aula?

Educador ou educadora, trabalhe a interpretação de texto com seus estudantes em sala de aula. Confira indicações para cada segmento escolar!

Continuar