Leitura partilhada: saiba como funciona e forme leitores críticos e engajados!

A formação de leitores críticos e engajados passa pela construção de uma cultura leitora. Para isso, a leitura partilhada pode ser um caminho interativo e prazeroso para estudantes, professores e responsáveis.

Neste texto vamos compreender o conceito de leitura partilhada e compartilhar dicas de como colocá-la em prática com seus estudantes. 

O que é a leitura partilhada?

O estímulo à leitura é essencial para a formação de jovens leitores fluentes. Afinal, mais do que decodificar as letras, leitores fluentes são capazes de fazer conexões entre os temas abordados de forma crítica.

Contudo, a formação de leitores fluentes passa por um processo coletivo de desenvolvimento de habilidades que garantam ferramentas para que o estudante consiga atribuir sentido ao que foi lido. A leitura partilhada pode auxiliar esse processo!

De forma geral, a leitura partilhada é aquela em que professores e estudantes compartilham a leitura dos textos e suas impressões. Ela não é proporcionada somente pela leitura em voz alta, ela pressupõe o compartilhamento das impressões, críticas e conexões entre o texto e a vida. Desta forma, o estudante é estimulado a desenvolver habilidades para além da decodificação das letras.

Os benefícios da leitura partilhada 


Colocar a leitura partilhada em prática exige esforço de todos os envolvidos no processo educacional. Contudo, os benefícios desta prática serão observados por muito tempo na vida dos estudantes, uma vez que ela estimula o compartilhamento de ideias e o prazer de ler. Assim, a leitura partilhada tem foco no processo pelo qual o estudante desenvolve o prazer e a leitura fluente. Desta forma, o educador passa a ser um mediador entre a leitura e o estudante, incentivando-o a dialogar com o texto. 

Colocar a leitura partilhada em prática é um processo estratégico e reflexivo no qual o estudante deve organizar suas impressões e questões sobre o texto. Portanto, através dela que o estudante vai compreender a existências de diferentes técnicas de leitura e observar qual a que melhor se encaixa na sua forma de compreensão. 

A leitura partilhada passa por um acordo entre quem lê e quem ouve, trazendo um aspecto espacial e temporal à leitura, pautado no encontro entre diferentes para realizar o processo de leitura e partilha. Através dela, crianças desenvolvem uma memória leitora relacionada aos adultos que fizeram parte do processo de partilha e aos espaços de vivência e troca. 

Desta forma, a leitura partilhada traz benefícios à sala de aula, como propiciar o engajamento com a leitura, desenvolver o hábito de recontar e escrever, trabalhar emoções e mediar a leitura e as impressões individuais de cada um. Por isso, introduzi-la em sala de aula pode criar um hábito leitor e colaborativo no cotidiano. 

Leia também: Como mapear as habilidades de leitura dos alunos?

Dicas para colocá-la em prática na sua sala de aula

A leitura partilhada ainda não é abordada como central para o desenvolvimento da fluência leitora por parte dos estudantes. Contudo, seu potencial é enorme, já que a leitura é, acima de tudo, um hábito social em que há o diálogo com o texto, autores e ideias que surgem ao longo da mesma. Ao partilhar a leitura, indicamos um caminho de aprendizagem no qual o estudante consegue desenvolver o prazer de ler e compartilhar suas próprias impressões. 

Para isso, um ponto inicial é a leitura em voz alta. Programe com seus estudantes momentos específicos voltados para a leitura partilhada, eles podem ser calendarizados, fazendo com que eles esperem por esse momento e estejam atentos a ele. Durante o processo de leitura em voz alta, introduza, através da fala, as emoções às quais os personagens são submetidos, bem como as suas próprias. 

Neste processo, o adulto tem papel de mediador e encorajador da leitura. Por isso, é importante dialogar com o texto e fazer com que os estudantes percebam a importância de questionar o autor e os personagens. Outro aspecto importante refere-se ao que propor após a leitura compartilhada, para que esse momento não se encerre em si. Uma boa dica é promover recontos, em que os estudantes ganhem papel protagonista no diálogo com o próprio texto. 

Leitura partilhada e resultados a longo prazo

A introdução da leitura partilhada na rotina escolar é um processo que mostra seus resultados no longo prazo. Por isso, é preciso ter em mente que os educadores possuem papel fundamental na promoção da cultura leitora. Logo, tente tornar este momento o mais prazeroso possível, os resultados a longo prazo serão motivadores e essenciais para os estudantes.


Ouça também nosso episódio do podcast Plantando Histórias: Como os livros conectam e aproximam pessoas, com a jornalista Gabriela Mayer


Esse conteúdo foi produzido por:

Time de especialistas pedagógicos da Árvore

Versão gratuita Árvore Livros

Experimente a versão gratuita da Árvore Livros

Tenha todas as funcionalidades da Árvore Livros em uma versão gratuita com acervo selecionado.

10.000+ people recommend using Client-first

Você pode gostar também

professora incentivando aluno a ler
Leitura

Como incentivar a leitura na escola: 5 dicas para educadores

Quer conferir como incentivar a leitura na escola entre seus alunos? Trouxemos cinco dicas infalíveis para educadores!

Continuar
pai e filho lendo
Leitura

Incentivo à leitura: veja a importância dos pais!

Como os pais podem participar da formação de leitores? Qual a importância e influência que exercem com crianças e jovens? Confira neste post!

Continuar