Leitura ativa e leitura passiva: o que é cada uma e como promover o engajamento dos estudantes

A leitura está em nosso cotidiano. Temos o hábito de folhear revistas na fila de espera do consultório ou ler encartes no transporte público. Contudo, realizar uma leitura realmente engajadora ainda é um desafio, tanto para adultos quanto para crianças e adolescentes. Por isso, esse texto vai explorar um pouco mais a diferença entre leitura passiva e leitura ativa. Além disso, vamos propor caminhos para desenvolver leitores ativos e curiosos. 

A diferença entre leitura ativa e passiva

Apesar de lermos em muitos momentos do nosso cotidiano, nem sempre realizamos uma leitura atenta e crítica. Isso pode impactar no quanto absorvemos do texto. Desta forma, a depender do objetivo, realizamos tipos diferentes de leitura. Assim, quando fazemos uma leitura descompromissada, rápida e sem pretensão de nos aprofundarmos no tema, colocamos em prática um tipo de leitura passiva. 

Por outro lado, quando nos engajamos no conteúdo lido de forma crítica, dialogando com o autor, questionando colocações e refletindo sobre os temas abordados, estamos realizando um tipo de leitura ativa. Assim, quando realizamos uma leitura ativa nos tornamos parte do texto, somos capazes de dialogar e até interpelar o autor e seus personagens.

Por isso, a leitura ativa é responsável por um maior engajamento, através dela conseguimos reter o conhecimento e conectá-lo com outras fontes e informações. É preciso ressaltar que nem sempre seremos leitores críticos e ativos.

Como promover a leitura ativa em sala de aula 

Em sala de aula, o principal objetivo da leitura é criar leitores críticos que interajam com os textos e sejam capazes de questionar o interlocutor a fim de absorver o conteúdo de forma autônoma. Por isso, é essencial o desenvolvimento de uma leitura ativa e dinâmica. 

Para começar, conheça o hábito leitor de seu estudante, existem diferentes tipos de leitores ativos. Portanto, pesquise gêneros, formatos e estratégias que façam sentido para o seu interlocutor. Logo, ofereça uma escuta ativa e esteja aberto às sugestões que possam surgir. Além disso, incentive seus estudantes a indagar o texto, questionar o autor e os personagens e identificar suas intenções. 

Outra ação simples é estimular marcações e anotações sobre o texto. Use a criatividade, abuse das cores e crie um momento de leitura lúdico. Em sala de aula, é possível fazer este processo em conjunto, pedindo para que todos os estudantes compartilhem os momentos de maior atenção e tensão no texto.

Por fim, você pode pedir para que pensem as situações descritas no texto de forma prática, trazendo-as para a realidade e o cotidiano. Assim, é possível desenvolver o pensamento crítico e a leitura ativa. 

Pequenas ações para o engajamento dos alunos

O desafio de auxiliar o desenvolvimento de leitores ativos é enorme, mas devemos ter no horizonte a ideia de que pequenas ações cotidianas podem engajar cada vez mais estudantes.

Por isso, crie momentos e atividades de pré e pós-leitura e encoraje seus alunos e alunas a desenvolver os assuntos abordados e conectá-los com outras áreas do conhecimento. Além disso, esteja atento aos seus anseios. Afinal, promover uma leitura dinâmica e crítica é essencial para formação cidadã de nossos estudantes. 

Esse conteúdo foi produzido por:

Time de especialistas pedagógicos da Árvore

Trilha de Leituras

Material gratuito

Trilha de Leituras Árvore

Garanta o desenvolvimento da leitura na sua escola durante o ensino híbrido e remoto.

10.000+ people recommend using Client-first

Você pode gostar também

melhores livros para ler na prateleira
Leitura

Melhores livros para ler: confira o que dizem Conceição Evaristo e Daniel Munduruku

Quais os melhores livros para ler? Podem ser muitos e em diversas formas. Conceição Evaristo e Daniel Munduruku deixam suas impressões!

Continue lendo
alunos lendo juntos
Leitura

Leitura colaborativa: como usar essa prática pedagógica em sala de aula?

Com o nosso conteúdo, você fica sabendo o que é a leitura colaborativa e como essa prática pode ser utilizada em sala de aula.

Continue lendo