O que são os itinerários formativos no Novo Ensino Médio?

2 dez 2021
5 min

O Novo Ensino Médio é fruto da lei 13.415 publicada em 2017. A regulamentação propõe uma reforma estrutural na última etapa do ensino básico: na composição curricular, na carga horária e na organização das disciplinas de escolas públicas e privadas de todo país. Seu objetivo é fazer com que as expectativas e necessidades dos estudantes do século XXI sejam atendidas. Uma das principais novidades do Novo Ensino Médio, os itinerários formativos são o conjunto de disciplinas e atividades que cada aluno escolhe cursar durante o segmento.

A carga horária é uma das principais mudanças do Novo Ensino Médio, dividindo-se em uma parte rígida e comum a todos os estudantes, a formação geral básica, que deve compor 60% da formação, e outra de escolha individual, correspondendo a 40%. Escolhida de acordo com o gosto de cada estudante, a parte flexível é composta pelos itinerários formativos que possuem diferentes estruturas. 

O que são os itinerários formativos?

Segundo o  portal do MEC, os itinerários formativos são um “conjunto de disciplinas, projetos, oficinas, núcleos de estudo, entre outras situações de trabalho, que os estudantes poderão escolher no Ensino Médio”.

Eles são formados por três eixos: os aprofundamentos das disciplinas, as eletivas e os projetos de vida. As escolas terão liberdade para escolher o que ofertarão aos estudantes dentro dessas três possibilidades. Veja com mais detalhes cada um:

Aprofundamentos

Procuram ampliar os aprendizados promovidos pela Formação Geral Básica e as habilidades e competências da BNCC. No caso dos Itinerários Formativos de Áreas do Conhecimento, essa ampliação acontece em articulação com temáticas contemporâneas conectadas com o contexto e os interesses dos estudantes. 

Além de melhor explorar potenciais e vocações, os aprofundamentos permitem que os jovens concluam o Ensino Médio com algum diferencial na sua formação. Desta forma, seu histórico escolar poderá ser personalizado e envolverá maior tempo de dedicação às unidades curriculares escolhidas de acordo com seu Projeto de Vida. E o mais importante, os aprofundamentos podem ser aplicados de diversas formas, como em oficinas, clubes de leitura, participação em equipes, por exemplo.

Eletivas

São unidades curriculares de livre escolha dos estudantes. Recomenda-se que tenha duração de um semestre cada e que lhes possibilitem experimentar diferentes temas, vivências e aprendizagens, de modo a diversificar e enriquecer o seu percurso formativo.

O estudante pode cursar eletivas associadas à mesma área do conhecimento ou optar por diversificar a sua formação, escolhendo Eletivas de temas de seu interesse associados a outras áreas. Espera-se que sejam construídas pelos professores a partir de momentos de escuta com os próprios estudantes.

Apesar do seu caráter mais lúdico e prático, é importante que tenham intencionalidade pedagógica e se articulem com as áreas do conhecimento, os eixos estruturantes e as competências gerais da BNCC.

Projetos de vida

Os projetos de vida têm como objetivo ajudar a desenvolver a capacidade do estudante de dar sentido à sua existência, tomar decisões, planejar o futuro e agir no presente com autonomia e responsabilidade. Recomenda-se que seja transformado em componente curricular a ser desenvolvido ao longo dos três anos de Ensino Médio:

  •  No 1º ano, sugere-se que o foco seja o desenvolvimento do autoconhecimento, até mesmo para permitir que o estudante faça escolhas mais assertivas em relação aos Itinerários Formativos. 
  • No 2º ano, recomenda-se que a ênfase recaia sobre a ampliação de repertório e possibilidades para diversificar as opções e expandir os horizontes, nos aspectos pessoais e profissionais, dos alunos.
  • No 3º ano, o objetivo é orientar os jovens para que planejem ações presentes e futuras, definindo objetivos e metas para sua vida pessoal, profissional e cidadã.

Itinerários formativos e BNCC

Por fim, é muito importante que, em todo o percurso do estudante, seja incentivado seu desenvolvimento integral. O seu processo formativo deve ser repleto de experiências que permitam desenvolver competências como autoconfiança, autonomia, determinação e resiliência, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

A BNCC foi elaborada para nortear as escolas na construção dos seus currículos, destacando os conhecimentos, habilidades e competências a serem desenvolvidas nos três anos do Ensino Médio.

Gestor(a), esperamos que suas dúvidas tenham sido resolvidas! Mas se você deseja saber mais sobre O Novo Ensino Médio, que tal se inscrever na nossa formação gratuita? O Novo Ensino Médio Na Prática vai te ajudar a estar por dentro de todas as mudanças e te apoiar  nos desafios da reforma! Inscreva-se aqui!

Time de especialistas pedagógicos da Árvore

Esse conteúdo foi produzido por:

Time de especialistas pedagógicos da Árvore

download de material ebook competências socioemocionais

E-book

Competências Socioemocionais

Confira nosso ebook com dicas de como a leitura pode ajudar a trabalhar as competências socioemocionais com seus alunos.

10.000+ people recommend using Client-first

Você pode gostar também

professora e alunas em biblioteca utilizando tablet
Educação

Inovação na escola: como a Rede Santa Maria Minas utiliza a Árvore

Que tal conferir o case real da Rede Santa Maria Minas e o uso da Árvore? Entrevistamos a gestora escolar da unidade de Betim.

Continuar
aluna estudando em sala de aula
Educação

A importância de acionar conhecimento prévio dos alunos

Você sabe como acionar o conhecimento prévio do seu aluno durante a aula? Sabe a importância desse processo para a aprendizagem? Confira nesta postagem!

Continuar
menina usa tecnologia em sala de aula
Educação

Qual a importância da tecnologia na educação?

Entenda qual é a importância da tecnologia na educação e de quais formas ela pode ser introduzida no ambiente escolar. Confira o texto preparado pela equipe pedagógica da Árvore.

Continuar