Checklist da escola segura: como a gestão promove saúde mental
Baixe agora!
Blog da Árvore
Gestão Escolar
Como reduzir a inadimplência escolar?

Como reduzir a inadimplência escolar?

9 maio 2023
5 min
Post modificado em:
9/5/2023

Em tempos de crise econômica, a inadimplência escolar é uma preocupação constante para gestores de escolas particulares. Alunos que deixam de pagar as mensalidades geram um impacto financeiro significativo na instituição de ensino

Esses impactos podem comprometer o pagamento de salários, a manutenção da estrutura física e até mesmo a qualidade do ensino oferecido. Por isso, é fundamental adotar estratégias eficazes para reduzir a inadimplência escolar.

Neste artigo, vamos explicar o que é a inadimplência escolar. Além do impacto que ela tem na gestão escolar e o que fazer para reduzi-la.

O que é inadimplência escolar?

A inadimplência escolar ocorre quando os pais ou responsáveis pelo aluno deixam de pagar as mensalidades da escola. Esse problema é bastante comum em escolas particulares. Especialmente em épocas de crise econômica, quando as famílias enfrentam dificuldades financeiras e precisam priorizar outros gastos.

A inadimplência pode ser total (quando a família não paga nenhuma mensalidade). Ou ainda parcial (quando a família paga parte da mensalidade, mas deixa uma parte em aberto).

Qual o impacto da inadimplência na gestão escolar?

A inadimplência escolar pode ter um impacto significativo na gestão escolar. Em primeiro lugar, ela compromete o fluxo de caixa da instituição de ensino. Isso pode gerar dificuldades financeiras para pagar as contas e os salários dos funcionários.

Além disso, a inadimplência pode comprometer a qualidade do ensino oferecido pela escola. Afinal, os recursos financeiros são limitados e a instituição pode não ter condições de investir em materiais didáticos, equipamentos e atividades extracurriculares.

Outro impacto da inadimplência é na relação entre a escola e as famílias. Quando um aluno fica inadimplente, a escola precisa tomar medidas para tentar recuperar a dívida. Isso pode gerar desgastes na relação com os pais ou responsáveis.

Além disso, a inadimplência pode afetar a reputação da escola. Pais de outros alunos podem ficar preocupados com a saúde financeira da instituição e procurar outras opções de ensino.

Como medir a inadimplência escolar?

Medir a inadimplência escolar é fundamental para entender o nível de endividamento da escola e tomar decisões estratégicas para reduzir esse problema. Existem diferentes formas de medir a inadimplência, sendo as mais comuns o índice de inadimplência e o fluxo de caixa projetado.

O índice de inadimplência é calculado dividindo o valor total das mensalidades em atraso pelo valor total das mensalidades a receber. Esse índice pode ser calculado mensalmente, trimestralmente ou semestralmente, dependendo da periodicidade de pagamento das mensalidades na escola.

Um índice de inadimplência acima de 10% já pode ser considerado preocupante e indicar a necessidade de tomar medidas para reduzir a inadimplência.

Já o fluxo de caixa projetado é uma ferramenta que permite projetar o fluxo de entrada e saída de recursos da escola. Ele considera as mensalidades em atraso e as previsões de pagamento.

Essa ferramenta é útil para identificar períodos de maior ou menor fluxo de caixa. É útil também para planejar ações de recuperação de dívidas em momentos mais favoráveis.

O que diz a Lei de Mensalidades Escolares?

A Lei de Mensalidades Escolares (Lei nº 9.870/1999) estabelece regras para a cobrança de mensalidades em instituições de ensino particulares. Com a lei, a escola deve informar, com antecedência mínima de 45 dias, o valor das mensalidades e os critérios de reajuste.

Além disso, a escola deve oferecer descontos ou bolsas para alunos que comprovem dificuldades financeiras.

A lei estabelece que a participação do aluno em atividades escolares só pode ser impedida após o atraso de três mensalidades consecutivas ou seis mensalidades alternadas.

Além disso, a escola deve notificar o responsável pelo aluno com antecedência mínima de 30 dias antes da proibição da participação.

Caso a escola decida rescindir o contrato de prestação de serviços educacionais por inadimplência, é necessário que essa decisão seja formalizada por escrito. A escola também deve oferecer ao aluno a possibilidade de quitação da dívida antes da rescisão do contrato.

O que fazer para reduzir a inadimplência escolar?

Para reduzir a inadimplência escolar, é importante adotar uma série de medidas que visem tanto prevenir quanto recuperar as dívidas em aberto. A seguir, apresentamos algumas dicas para ajudar gestores escolares a lidar com esse problema:

1 - Tenha um contrato claro e detalhado

Um contrato claro e detalhado é fundamental para prevenir a inadimplência escolar. O contrato deve estabelecer claramente as obrigações das partes envolvidas. Ele deve incluir as condições de pagamento, as penalidades em caso de atraso e os prazos para renovação do contrato.

O contrato deve ser lido e assinado pelos pais ou responsáveis antes do início das aulas. Assim, é possível evitar dúvidas ou mal-entendidos posteriormente.

2 - Ofereça diferentes formas de pagamento

Oferecer diferentes formas de pagamento é outra estratégia eficaz para reduzir a inadimplência escolar. Além do boleto bancário, é possível oferecer outras opções, como débito automático, cartão de crédito ou Pix.

Quanto mais opções de pagamento a escola oferecer, maior a possibilidade dos responsáveis encontrarem uma forma de pagar as mensalidades em dia.

3 - Tenha uma política clara de descontos e bolsas

Uma política clara de descontos e bolsas é outra forma de prevenir a inadimplência escolar. A escola pode oferecer descontos para pagamento antecipado, para irmãos de alunos matriculados ou para alunos que obtiveram boas notas no ano anterior.

Além disso, é possível oferecer bolsas de estudo para alunos que não têm condições financeiras de arcar com as mensalidades. Uma política clara de descontos e bolsas ajuda a fidelizar os pais ou responsáveis e a tornar a escola mais acessível para todos.

4 - Faça um controle rigoroso das finanças da escola

Um controle rigoroso das finanças da escola é fundamental para reduzir a inadimplência. É preciso ter um sistema eficiente de controle de receitas e despesas. Esse sistema deve permitir identificar rapidamente as mensalidades em atraso e as dívidas em aberto.

Além disso, é importante ter um plano de contingência para lidar com eventuais crises financeiras. Entre elas, a queda no número de matrículas ou o aumento da inadimplência.

5 - Estabeleça uma política clara de cobrança

Uma política clara de cobrança é fundamental para recuperar as dívidas em aberto. A escola deve estabelecer um procedimento padrão de cobrança, que inclua o envio de lembretes por e-mail, mensagem de texto ou telefone.

Além da emissão de boletos atualizados e a negociação de dívidas com os pais ou responsáveis. É importante estabelecer prazos e limites para a cobrança, para evitar desgastes na relação com as famílias.

6 - Tenha um canal de comunicação eficiente com os pais

Um canal de comunicação eficiente com os pais é fundamental para prevenir e reduzir a inadimplência. A escola deve manter os pais informados sobre as datas de vencimento das mensalidades, os descontos e bolsas disponíveis e as políticas de cobrança.

Além disso, é importante estabelecer uma relação de confiança e transparência com os pais. Só assim eles se sentirão à vontade para comunicar eventuais dificuldades financeiras e buscar soluções em conjunto.

7 - Invista em tecnologia

Investir em tecnologia é outra forma de reduzir a inadimplência escolar. Com a digitalização dos processos financeiros, é possível automatizar a emissão de boletos. Além do controle de receitas e despesas e a cobrança de dívidas em aberto.

É possível usar plataformas digitais para oferecer formas de pagamento mais acessíveis e para manter uma comunicação mais eficiente com os pais.

8 - Tenha uma equipe de gestão financeira capacitada

Ter uma equipe de gestão financeira capacitada é fundamental para reduzir a inadimplência escolar. Os profissionais responsáveis pela gestão financeira da escola devem ter conhecimento em finanças, contabilidade e gestão de recursos.

Eles devem estar preparados para lidar com situações de inadimplência. E ainda preparados para buscar soluções eficazes para reduzir os índices de atraso e dívidas em aberto.


A inadimplência escolar é um problema que afeta muitas escolas particulares em todo o país. Para reduzir esse problema, é preciso adotar uma série de estratégias que envolvem desde a prevenção até a recuperação de dívidas em aberto.

É importante lembrar que a redução da inadimplência não depende apenas da escola, mas também da situação econômica das famílias. Por isso, é importante ter empatia e compreensão com os pais ou responsáveis que enfrentam dificuldades financeiras e buscar soluções em conjunto.

Com uma gestão financeira eficiente e uma boa relação com os pais, é possível reduzir a inadimplência escolar e garantir uma educação de qualidade para todos os alunos. Aproveite e leia também nosso post sobre Gestão Financeira Escolar.

No items found.

Baixe o Guia Definitivo da Gestão Escolar!

Tenha acesso a dicas, materiais e conteúdos práticos para tornar o dia a dia da gestão escolar mais simplificado. É gratuito!

Preencha o formulário ao lado e receba o material no seu e-mail.

Formulário enviado com sucesso!
Erro! Por favor, tente novamente.

Você pode gostar também

Gestão Escolar

Encerramento do ano letivo: 9 dicas de como organizar

Confira dicas de como organizar o encerramento do ano letivo na sua escola e ter tudo organizado na gestão escolar.

Continuar
Gestão Escolar

7 ideias para criar uma sala de aula interativa

Uma sala de aula interativa permite desenvolver a consciência crítica dos alunos e requer comprometimento do gestor escolar e da equipe pedagógica. Saiba mais.

Continuar