Curadoria de conteúdo: como praticar em sala de aula

27 maio 2022
4 min

Vivemos na era da informação. Hoje em dia, é possível encontrar, a poucos cliques de distância, uma infinidade de conteúdo em diferentes formatos, linguagens e sobre todos os temas que imaginamos no mundo digital. Torna-se, portanto, cada vez mais urgente que nós, inseridos nesse universo, saibamos fazer uma curadoria de conteúdo.

Com a curadoria, conseguimos filtrar e organizar as informações que fazem sentido para nossas necessidades. Considerando o ambiente de ensino e, partindo do princípio que não é qualquer conteúdo que vai para dentro da sala de aula, o professor precisa estar apto a exercer também o papel de curador.

Por isso, hoje vamos falar da curadoria de conteúdo relevante no campo educacional. Como praticar em sala de aula, quais cuidados precisam ser tomados e outras dicas para você, educador, que quer se aprofundar nessa prática.

A transformação na curadoria de conteúdo

Antes de começar com os conceitos, é preciso deixar claro que, na prática, a maioria dos educadores já é um curador de conteúdo. A partir do momento que ele leva para sala de aula materiais complementares para abordar um assunto planejado, para além da apostila ou livro didático, ele já desempenha esse papel.

Então, qual a diferença? A dinâmica da proposta e a dimensão das possibilidades. Antes da era digital, ou da era da informação, os conteúdos presentes em livros, enciclopédias, teses e artigos já se encontravam disponíveis para o uso educacional. Mas o acesso a tudo isso nem sempre era fácil.

Com o advento da internet, encontrar conteúdo é a coisa mais simples do mundo. “Dar um google” em um termo na barra de pesquisa para ler, assistir, ouvir ou até mesmo interagir sobre um determinado assunto é algo que já faz parte da rotina de quem convive com a tecnologia.

O que é a curadoria de conteúdo educacional?

Dadas as circunstâncias descritas, o fato é que, hoje em dia, não basta pesquisar sobre um tema e consumir os resultados da pesquisa. É preciso que essa seleção seja feita com cuidado, atenção e discernimento.

A curadoria de conteúdo educacional se define, então, como uma triagem, dentro de um vasto mundo de possibilidades. O objetivo é averiguar confiabilidade, adequação e outros parâmetros que serão pertinentes ao uso previsto do material a ser selecionado.

Sendo assim, ela funciona como um filtro feito pelo educador na busca ativa de conteúdos que vão ser usados com seus estudantes na construção da aprendizagem. A fim de garantir não só a qualidade do material, mas também sua integração ao contexto escolar e à intencionalidade pedagógica.

Os desafios da curadoria de conteúdo

É preciso entender que junto da extensão das possibilidades vem também a desconfiança de que parte do que está disponível é de qualidade. Por isso, é essencial que qualquer usuário saiba fazer a diferenciação, principalmente quando o uso é voltado ao processo de ensino e aprendizagem dos estudantes.

O que é preciso avaliar?

Diante dos desafios apontados e considerando a responsabilidade no compartilhamento de conteúdo, seguem alguns questionamentos que o educador pode fazer na hora de realizar uma curadoria de conteúdo na internet:

  • Qualidade: o conteúdo é coerente e coeso na apresentação das informações? É organizado e claro no desenvolvimento do tema?
  • Linguagem: a linguagem utilizada é adequada ao aluno de determinada faixa etária? O texto utiliza-se da norma culta da língua portuguesa? Contém conteúdo impróprio ou sensível a certo público?
  • Formato: é um texto escrito? É uma imagem? É um vídeo? Qual formato faz mais sentido para sua aula?
  • Fonte: Quem produziu esse material? É um portal que possui credibilidade na área da educação? É uma referência no assunto?
  • Dados: os dados são apresentados de forma clara e concreta? Ele cita a referência? São dados obtidos por pesquisa de uma instituição séria?
  • Referência: o leitor consegue checar a veracidade da informação através das fontes? As referências têm embasamento?
  • Contexto: as informações apresentadas dialogam com o contexto e com outros meios de comunicação? É um dado muito discrepante ou sensacionalista?

Os pontos citados não vão definir, sozinhos, se um conteúdo é confiável ou não. Aqui, o objetivo é ajudar o professor a desconfiar e questionar na hora de realizar sua pesquisa. Quanto mais perguntas o leitor faz ao texto, mais ele direciona sua busca para resultados de qualidade.

Qualidade x Popularidade

O resultado de uma busca em uma plataforma de pesquisa é apresentado em determinada ordem. E isso pode levar o educador a acreditar que os primeiros resultados são os melhores. Porém, nem sempre é isso que acontece.

Existem os algoritmos, os conteúdos patrocinados, e tantas outras situações que podem influenciar nos resultados e na sua apresentação, mais relacionados à popularidade do que à qualidade. E, portanto, os conteúdos precisam ser analisados e experimentados pelo professor antes de serem levados para os alunos.

Fontes confiáveis na curadoria de conteúdo

Para evitar informações falsas ou superficiais sobre um assunto, o educador deve selecionar ferramentas de busca em plataformas confiáveis, que são referências no trabalho com pesquisas, dados e produção de conteúdo responsável.

Faz parte da pesquisa das instituições de ensino, procurar por sites de instituições sérias, que possuam credibilidade na área.

No âmbito educacional, existem os portais do Ministério da Educação, do Centro de Inovação para a Educação Brasileira, além de empresas, como a Árvore, que produzem conteúdo e são referências dentro de suas áreas do conhecimento.

Caso você, professor, se depare com material super interessante que não necessariamente está dentro desses canais, procure saber questionar de acordo com o que foi sugerido acima. Assim, é possível desenvolver seu olhar crítico e fazer uma escolha acertada.

Passo a passo na curadoria de conteúdo educacional

Agora que já passamos pelo conceito e os desafios da curadoria de conteúdo, vamos apresentar um passo a passo de como o educador pode realizá-la:

  1. Definição do tema: essa etapa vai partir do planejamento pedagógico do educador para a aula em questão
  2. Pesquisa: é a fase da busca nos portais indicados ou outros recursos de tecnologia educacional. O ideal é partir desses ambientes para as redes sociais, por exemplo. E, assim, garantir que o indicado já foi verificado por plataformas confiáveis.  
  3. Organização de resultados: ao obter os resultados da pesquisa, vá selecionando o que, em uma primeira e breve análise, parece fazer sentido para seu objetivo pedagógico.
  4. Verificação dos conteúdos: agora é hora de se aprofundar no que foi selecionado, entender a adequação da linguagem, da abordagem e do conteúdo como um todo ao projeto político pedagógico da escola e à faixa etária dos estudantes.
  5. Seleção dos materiais: após a análise, você poderá selecionar de acordo com o tempo disponível das aulas e de interação dos estudantes.
  6. Integração dos conteúdos: a última fase do processo é a integração - que, na prática, será feita ao longo de todas as etapas - entendendo que os conteúdos selecionados devem estar em diálogo com o processo de ensino e aprendizagem, e o objetivo pedagógico estabelecido.

De olho na BNCC

No processo de curadoria de conteúdo para a educação, o professor vai se deparar com muitos conteúdos que não se encaixam nos requisitos estabelecidos pela BNCC.

Uma possibilidade que enriquece muito a aprendizagem - claro que dependendo do propósito da aula - é a utilização do que não seria selecionado para fins pedagógicos. Ou seja, uma das propostas é que os alunos verifiquem o que tem de “errado” ou “inadequado” no material.

Esse caminho vai além da construção do conhecimento em si, ele permite orientar o estudante na hora de fazer sua própria pesquisa. Dar ferramentas para consumir e produzir conteúdo de forma crítica em seu percurso formativo.

A competência geral 5 da Base Nacional Comum Curricular aponta a necessidade dessa orientação, principalmente quando se trata de conteúdos no meio digital. Conforme diz o texto:

“Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.”

Conteúdo e metodologias ativas

Uma das estratégias das metodologias ativas de aprendizagem é o uso da “sala de aula invertida”. Onde inverte-se a ordem de construção do conhecimento, em relação ao modelo de aula tradicional.

Nesse contexto, a curadoria de conteúdo seria o resultado de uma aula nesse formato. Ou seja, os alunos vão pesquisar sobre o tema e, posteriormente, o professor vai atuar como um orientador na mediação da aprendizagem.

Dessa forma, torna-se fundamental que o estudante saiba também realizar essa pesquisa de forma crítica, questionadora, curiosa e atenta. E quem vai guiar esses passos será o educador.

Como a Árvore pode te ajudar na curadoria de conteúdo

A Árvore é uma plataforma digital de leitura para escolas e que, por isso, tem enorme cuidado e responsabilidade com o que disponibiliza aos seus leitores.

Tanto na plataforma de Livros, quanto na plataforma de Atualidades, o educador pode ficar tranquilo na hora de selecionar conteúdo para suas aulas ou propor que os alunos pesquisem sobre um assunto.  

Curadoria de conteúdo na Árvore Livros

A Árvore Livros conta com um vasto acervo de livros literários e de materiais pedagógicos que podem facilitar a vida do educador na hora de realizar uma curadoria de conteúdo educacional.

Para levantar e selecionar materiais, o educador e o aluno podem fazer busca por termo, autor, palavra-chave, editora e refinar os resultados da pesquisa com os filtros de catalogação.

Todos os livros que compõem o amplo acervo da Árvore passam por um processo de catalogação interna com especialistas para serem disponibilizados de forma adequada e para que possam ser encontrados facilmente através da busca.

Além disso, a nossa equipe também realiza a curadoria do acervo para que o leitor possa visualizar de forma rápida e ágil os livros de temas interessantes à escola. Os resultados desse processo são vistos em forma de prateleiras, coleções e categorias nas quais o usuário navega para pesquisar, selecionar e realizar leituras.

Para o professor, ainda estão disponíveis materiais pedagógicos que vão apoiar no trabalho com determinado título ou assunto. A equipe de conteúdo pedagógico elabora, dentro das possibilidades do acervo, propostas de atividades, reflexões, projetos que vão levar a leitura para além do livro lido e promover uma aprendizagem mais significativa.

Curadoria de conteúdo na Árvore Atualidades

Em Atualidades, nosso conteúdo autoral é produzido por uma equipe de jornalistas que trabalha com fontes seguras e dados concretos na elaboração de matérias e reportagens.

Nossos parceiros, que disponibilizam revistas e jornais de circulação nacional e internacional na plataforma, também são referências de credibilidade no campo jornalístico.

O levantamento de informação é feito através da busca e aplicação de filtros. Mas o usuário ainda conta com a possibilidade de pesquisar por coleções e matérias mais atuais na página inicial.

Para o professor, todas as editorias autorais contam com atividades de pré e pós leitura que vão explorar o texto através de mobilização de conhecimento prévio e construção da aprendizagem.

Conteúdo Árvore nas redes

Nossos canais e redes sociais também produzem frequentemente conteúdo gratuito para apoiar o educador, tanto na hora da curadoria de conteúdo (selecionar livros, por exemplo) quanto para aprender sobre um tema ligado à leitura e à tecnologia.

No Youtube, Instagram e aqui no nosso Blog, as publicações em diferentes formatos vão enriquecer seu percurso formativo e apontar caminhos, propor práticas e trocas que podem potencializar o trabalho em sala de aula.

Converse, troque, compartilhe!

Na hora de fazer uma curadoria de conteúdo educacional, estabelecer redes de trocas pode ser um diferencial para auxiliar na garantia da qualidade dos materiais escolhidos.

Seja na própria escola ou, através da internet, se conectar com outros educadores que também estão em sala de aula é inspirador! Assim, eles podem trocar práticas, indicar conteúdos e sugerir atividades que já tenham sido experimentadas.

A Árvore também pode apoiar o educador nesse processo. Através do programa Semeadores de Leitura, uma comunidade de educadores da Árvore apaixonados por leitura.

O programa é um espaço gratuito de trocas de experiências e práticas, criado para que educadores de escolas parceiras possam compartilhar suas experiências cotidianas, discutir desafios e juntos encontrar possibilidades de superação.


Educador, gostou das nossas dicas para fazer uma curadoria de conteúdo para suas aulas? Todas as dicas e conceitos apresentados podem e devem ser adaptados à sua realidade escolar.

É importante lembrar que, quanto mais você desempenha esse papel de curador, principalmente dentro de uma área específica, mais fácil fica o processo. A prática vai te ajudar a construir repertório e criar um olhar cada vez mais atento aos conteúdos em seus diferentes níveis de qualidade e profundidade.

Te desejamos uma boa curadoria de conteúdo e até o próximo texto!

Time de especialistas pedagógicos da Árvore

Esse conteúdo foi produzido por:

Time de especialistas pedagógicos da Árvore

Trilha de Leituras

Material gratuito

Trilha de Leituras Árvore

Garanta o desenvolvimento da leitura na sua escola no ensino híbrido ou presencial.

10.000+ people recommend using Client-first

Você pode gostar também

professor dando feedback para aluno
Professores

5 dicas de como dar feedbacks assertivos aos seus alunos

Confira, neste artigo, a importância de um bom feedback para auxiliar os alunos na aprendizagem e como isso deve ser feito.

Continuar
Aluna utilizando Tablet
Professores

Descubra como preparar seus alunos para o conteúdo digital

Você sabe como preparar seus alunos para o conteúdo digital? Neste artigo a árvore dá algumas sugestões de como as escolas podem preparar seus alunos.

Continuar
Mãe e filho
Professores

Como envolver os pais no aprendizado dos alunos?

Veja várias estratégias para envolver os pais nas atividades escolares e aprendizado dos alunos.

Continuar
professora dá feedback aos alunos
Professores

5 dicas infalíveis de como dar feedback aos alunos de forma eficaz

Você sabe como dar feedbacks eficazes para seus alunos? Confira 5 dicas infalíveis para facilitar o processo neste post:

Continuar